quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Dias...

Há dias em que trabalho num gabinete contíguo a outro onde trabalha uma senhora que tem o poder de me pôr os nervos em franja, mesmo sem termos qualquer contacto visual. Há que dizer que as condições não são as melhores, pois os gabinetes estão separados por uma placa (em contraplacado?) que não isola nada o som. Quando digo nada é mesmo nada. Eu ouço-a a teclar, tenho sustos de morte quando ela espirra, mas o auge da irritação é quando ela fala ao telefone. Não interessa se está a falar com a mãe, com a vizinha ou com um(a) colega de trabalho, a frase inaugural do discurso é sempre a mesma: "Olá, tudo bem?". Mas num tom para lá de afectado, a que, não raras vezes, se juntam os adjectivos: querida, fofinha, entre outros extremamente exagerados para tratar meros(as) colegas de trabalho.
E como se o tom das conversas não fosse suficientemente ridículo e inusitado, ainda me prenda com temáticas muito interessantes, uma destas tardes foi passada a escutar 1001 telefonemas para locais que ofereciam actividades extra-curriculares para crianças. Nessa tarde percebi que é mais difícil arranjar uma actividade extra-curricular compatível com a vida atarefada de uma criança que tirar uma senha na Segurança Social e ser atendido no mesmo dia. Já hoje foi o dia de telefonar para as colegas a informá-las que lhes tinha enviado um email (parece que este meio de comunicação por si só não é o suficiente) onde se pedia a atenção das pessoas para o desaparecimento de um senhor que, por sua vez, era pai de uma sua conhecida.
Para além do sem número de telefonemas que ela efectua do telefone do serviço, ainda há a somar a musiquinha do seu telemóvel e os apitos sempre que recebe mensagens. E eu, do outro lado, a tentar concentrar-me no trabalho, não consigo deixar de pensar que só o meu telefone é que não toca e eu bem precisava que ele tocasse.

terça-feira, 29 de novembro de 2011

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Esta dupla é muuuiiiiito potente

Lembram-se de vos ter dito que ia experimentar o serum White Lucency da Shiseido aqui? Antes de mais importa dizer que esta linha de cosméticos se destina a peles com tendência a manchas de pigmentação, como a minha de resto. Depois de mais de um mês de utilização, tenho a dizer-vos que o serum sozinho dá alguns resultados, no entanto, o seu potencial é exponencialmente aumentado pelo creme hidratante da mesma linha. Estão aprovados.


domingo, 27 de novembro de 2011

Hoje tinha mesmo de ser




Hoje o fado foi reconhecido pela UNESCO como património imaterial da humanidade. Quando eu era mais pequena, havia uma pessoa que me perguntava sempre que o tema vinha à baila: "Filha, gostas de fado?" E eu respondia, sempre muito decidida, que não. A minha interlocutora ficava incrédula e eu não entendia porquê! Entretanto eu cresci, amadureci e o fado também e agora gosto, comecei por gostar do fado interpretado por esta nova geração de fadistas, mas já me aventuro a ouvir fados mais antigos de que acabo também por gostar. Agora percebo a estupefação da minha interlocutora e que há coisas que só a idade nos traz.

sábado, 26 de novembro de 2011

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Isto faz-me lembrar alguma coisa...

só não sei o quê! Se alguém conseguir associar a outra música é favor comentar. Obrigada!

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Carta aberta a Michael Bublé

É sobejamente conhecida a minha admiração por ti, Michael. Cantas, danças e és giro que te fartas. Já sabia que te tinhas casado, mas agora que vieram a público umas fotos da tua esposa tiradas para a campanha publicitaria de uma marca de lingerie, tenho uma coisa a dizer-te: ainda bem que te casaste com essa senhora, porque a relação entre nós estava fadada a ter uma vida muito curta. Que sejas muito feliz com a tua loura fogosa.


Ass.: Uma morena orgulhosa


Luisiana Lopilato

Greve geral ou feriado nacional?

Eu gostava de saber como é que esta greve pode trazer benefícios ao país. Se bem me lembro, estamos em crise, não conseguimos pagar a dívida soberana e tivemos de chamar a Troika para nos ajudar a tomar as rédeas do país. Choca-me que existam pessoas que considerem que, parando o país um dia, a coisa se resolve ou fica melhor para o lado deles. Choca-me ainda mais que alguns tenham tentado impedir que os colegas realizassem serviços mínimos decretados pelas próprias empresas. Será que ainda não perceberam que se não forem tomadas medidas sérias a situação só pode piorar?! A mim parece-me bastante lógico mas pelos vistos não é, ou será que um dia de greve em Novembro dá imenso jeito para começar a estourar o orçamento nas compras de Natal. Eu estou a trabalhar, é para isso que me pagam e acredito que trabalhar é o único caminho possível para chegarmos à tona da água.

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Provas de conhecimentos

Hoje fui pela primeira vez a uma prova de conhecimentos para ingressar na função pública. Não, eu não quero ser aquela senhora que atende o público enquanto masca uma pastilha com a boca aberta, que lê a Maria entre um "cliente" e o outro, que repete inúmeras vezes por dia a frase "isso não faz parte das minhas competências" e que 15 minutos antes da hora do fecho do serviço já está a arrumar a tralha. Não, eu quero ser o oposto deste estereótipo e começar a desmistificar a ideia de que os funcionários públicos não fazem nada no horário de expediente. Há apenas um pequeno problema, sou eu e p'raí mais uns cinquenta a desejar entrar naquele concurso, coisa pouca portanto!

terça-feira, 22 de novembro de 2011

Tenho muitas dúvidas

A Benetton voltou em grande este Inverno, começando com o lançamento de mais uma campanha polémica (Unhate) e terminando com as novas camisolas Pin Up. Estas camisolas têm uma tecnologia xpto e prometem valorizar as curvas de quem as vestir. Eu tenho muitas dúvidas quanto aos possíveis resultados destas peças de roupa, mas sou rapariga para entrar numa loja, experimentar e, se o resultado for o prometido, comprar uma de cada cor e feitio.


segunda-feira, 21 de novembro de 2011

O ódio é uma cena que me assiste

Infelizmente cresce dentro de mim este sentimento. Odeio todas aquelas pessoas que me dizem "Depois envio-lhe um mail" e nunca o fazem. Odeio-as mesmo que goste delas e esse sentimento intensifica-se cada vez que estou à procura de um novo emprego, farto-me de mandar currículos e o meu telefone é uma pasmaceira maior que uma aldeia do interior no Inverno e na minha caixa de correio só caem emails da treta e nenhum para marcar uma mísera entrevista de emprego. Sim, eu odeio-os a todos!

quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Raios me partam

Eu devia mesmo ir ao Centro de Histocompatibilidade para me tornar dadora de medula óssea. Não é porque o filho do jogador da selecção precisa, é que eu já tenho vontade de fazer isto há muito tempo. Na verdade, a vontade não é nenhuma... sim, é verdade, eu sou muuuiiiiiiiiito fraquinha e não me dou nada bem com agulhas. Eu sei que não dói nada, que não custa nada (mentira, mas pronto). Sei disso tudo, mas há alguma coisa em mim que não colabora e quando vou a ver já a analista (ou seja lá o que for) me está a perguntar se me sinto bem, fico pálida que nem uma parede caiada e só quero que ela se despache e não perca tempo a perguntar-me seja o que for. Aquele instante é um degredo, brrrrrrr! Mas desta vez vou ser forte e vou fazer por ir, é que eu nem quero imaginar o que seria ter alguém chegado a precisar de um bocadinho de sangue e eu saber que uma cambada de lingrinhas não eram dadores porque tinham medo de agulhas!

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Hoje descobri que...

Mais vale comer um coockie de chocolate da Starbucks por mês do que bolachas do supermercado todos os dias.

terça-feira, 15 de novembro de 2011

Se a informação pode ser irritante?

Sim, pode e, em alguns casos, chega mesmo a ser insuportável. A comissão que o governo incumbiu de avaliar o serviço público de comunicação concluiu, entre outras coisas, que o tempo de informação nos canais do Estado deve ser drasticamente reduzido e eu não podia estar mais de acordo! Tenho a forte convicção de que o telejornal deveria ter no máximo a duração de 15 minutos. Porque assim os profissionais de informação seriam obrigados a fazer uma escolha selectiva da informação a divulgar. Evitava-se que o telejornal fosse a primeira telenovela da noite ou do início da tarde. Ainda hoje pude observar as lágrimas e a dor dos trabalhadores da fábrica da Sicasal perante as chamas que a consumiam. Eu percebo que as pessoas fiquem transtornadas perante a possibilidade de perderem os seus postos de trabalho, o que eu não percebo é a razão pela qual eu tenho de testemunhar isso durante cerca de três minutos. Sinceramente, não tenho pachorra para isso! Nem para isso nem para aqueles programas que decidiram colocar no ar logo a seguir ao telejornal, quer dizer, na prática, é uma hora e meia, quando não é mais, de informação e de historietas que, na maioria das vezes, não interessam nem ao cão do meu vizinho. Acho que a RTP é um sorvedouro de dinheiro e não tenho problema nenhum em assumi-lo. Que os canais privados exibam este tipo de programas não me choca, mas não posso admitir que se esbanje assim o dinheiro público.  

segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Apostar no vermelho

Eu juro que este post não tem qualquer intenção clubística subjacente, até porque a moda não se compadece com esse tipo de intenções. A verdade é que ter um par de calças vermelhas no armário é quase obrigatório. Podem ser em sarja ou em materiais como o couro ou imitações. Se já deram uma volta pelas lojas, já se aperceberam que o que não falta são camisolas, tops e companhia em tons neutros que se conjugam perfeitamente com uma cor marcante como o vermelho. 



MANGO

Maria Barros

domingo, 13 de novembro de 2011

The Ides of March

Não sei se o problema é o George Clooney não ter tanto talento como realizador como tem como actor, o que sei é que falta(m) alguma(s) coisa(s) a este filme para ser um bom filme. Fica a nota positiva para o actor Ryan Gosling que está à altura do seu papel. E é isto.



quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Lembram-se das bolas e das lantejoulas?

Duas tendências fortes para esta estação. Aqui ficam duas propostas da MANGO.


quarta-feira, 9 de novembro de 2011

Quando tiver 42 anos...

quero estar como está a Jennifer Lopez. Amazing!

@ Glamour's 2011 Women of the Year

terça-feira, 8 de novembro de 2011

MTV Europe Music Awards

Não sei se já disse, mas eu poderia viver de apenas duas coisas na vida, ambas começadas por "m": música e moda. Gosto, gosto, gosto e adorava experimentar trabalhar em alguma dessas indústrias. Enfim, quimeras à parte, no passado domingo foram entregues em Belfast os MTV Europe Music Awards. Como se sabe, trata-se de um evento mais virado para a emissão televisiva, mas eu acho que, desta vez, quem assistiu ao vivo à entrega dos prémios presenciou um dos grandes momentos musicais, eu diria, do ano, e talvez (esperemos bem que não) irrepetível. Passo a explicar, Adam Lambert (saído do programa American Idol) juntou-se aos Queen e não deixou os créditos de Freddie Mercury em mãos alheias. Cantou a plenos pulmões e deu um grande, grande espectáculo. Quer-me parecer que, além de Lady Gaga, também este jovem saiu vencedor nesta noite. Fiquem com esta delícia e desfrutem dos 8 minutos.




segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Coisas de mulheres

Aqui há algum tempo fiquei boquiaberta quando uma amiga minha que ia casar me disse que lhe tinham oferecido um perfume Chanel N.º5, com a justificação de que, como estava prestes a ser uma mulher casada já podia ser dona e senhora daquele aroma. Eu confesso que na altura não percebi muito bem, mas agora já percebo. No outro dia dei por mim a pensar que, agora que já levo um quarto de século de vida, posso dar-me ao luxo de ter um daqueles batons a sério. Sim, chamem-me bebé, mas eu ainda não tinha um baton a sério (daqueles que pintam mesmo os lábios e não gloss ou coisa assim). Agora, que já sou dona e senhora do meu baton, que anda comigo para onde quer que vá, começo a perceber que a idade pode trazer mudanças muito benéficas, mesmo que sejam muito pequenas.

Optei por um da Clarins em tons de rosa.

domingo, 6 de novembro de 2011

Ronaldo e a bota de ouro

Cristiano Ronaldo ganhou mais uma bota de ouro, muitos parabéns Cristiano. Mas, desta vez, os parabéns não vão apenas para o craque, vão também para a sua mãe, Dolores Aveiro, que me surpreendeu pela positiva com o outfit que levou à cerimónia de entrega do prémio. Bem, talvez seja melhor estender este elogio à boa da Irina... não sei se esta manifesta melhoria na indomentária da matriarca não teve dedo da nora. Fiquem com esta imagem que faz juz à máxima "Uma imagem vale mais que mil palavras".



sábado, 5 de novembro de 2011

Fashion awards Portugal

Os Fashion Awards Poertugal 2011 foram entregues no passado dia 3. Dos felizes galardoados destaco Os Burgueses que receberam o prémio na categoria de melhor novo talento. Eu tenho estado atenta a esta dupla e quer-me parecer que eles, que já são grandes, serão ainda maiores e não há-de faltar muito para que tal aconteça. Este prémio é mais uma confirmação desta premonição. Parabéns aos Burgueses e aqui fica uma das suas propostas para a Primavera 2012.


quinta-feira, 3 de novembro de 2011

Já a pensar nas prendas de Natal

Começo por dizer uma coisa tipicamente portuguesa: há precisamente um ano atrás fui muito feliz. E quem me proporcionou esse estado de espírito foi o meu querido Michael Bublé. Sim, no dia 3 de Novembro de 2010, ele deu um dos melhores concertos a que já assisti na minha vida. Eu acredito que o valor de um artista se mede no palco e este é sem qualquer sombra de dúvida aquilo a que se chama "one man show", ele dança, canta e ainda diz umas graças que têm muita piada. Acho que o segredo do sucesso daquele espectáculo se deveu em grande parte ao talento deste canadiano, mas também à resposta calorosa do público. Eu cantei, cantei, cantei e quando de lá saí pensei: isto é que foi dinheiro bem empregue, quando ele voltar estou cá outra vez. A verdade é que ele ainda não voltou, mas tem um novo álbum chamado Christmas. Ainda não ouvi mas a fasquia está alta e, cá entre nós, ele fica ainda mais querido com um presente na mão.


quarta-feira, 2 de novembro de 2011

Há vida para além de Holywood

Num feriado de Novembro em que o frio já se começa a fazer sentir na cidade de Lisboa, já se espera que um dos sítios mais concorridos seja o cinema. E assim foi o dia de ontem, ia com o intuito de ver o Tim Tim, mas as sessões já estavam (quase) esgotadas, vai daí e olhei para o primeiro filme que surgiu à minha frente no cartaz de seu nome "Românticos anónimos" (no original francês "Les emotifs anonymes") e comprei o bilhete para o ver. Inicialmente pensei que seria uma grande banhada, ou seja, mais uma comédia romântica daquelas que se vêem quando estamos doentes em casa porque nem sequer temos disposição para mudar de canal. Mas tive uma agradável surpresa: um filme muito muito engraçado e diferente daquilo a que estou habituada. E gostei, gostei muito, porque saí daquela sala bem-disposta. Vou começar a dar mais oportunidades ao cinema que não emana de Holywood.